6.30.2014

Livro | As relações perigosas (Chordelos de Laclos)

"Quem deixaria de estremecer pensando nas desgraças que pode causar uma só relação perigosa?" (p. 319)


As relações perigosas é um romance epistolar, ou seja, é todo formado por cartas trocadas pelos personagens.


O livro começa com uma advertência do editor, seguido de um prefácio do redator; o prefácio nos informa que as cartas são reais embora os nomes de cada pessoa tenha sido substituído por outro. A advertência do editor desmente a informação e devo dizer: foi aí nesse comecinho que eu me apaixonei pelo livro.




















A trama se passa na França do século XVIII e essa é a única temporalidade que temos em relação ao ano, apesar de, no meio do volume, a data de uma carta estar completa, exibindo-se como 25 de setembro de 1780 (p. 166).




























A história daria uma ótima novela: a Sra. de Volanges arranjou para a filha, Cécile, um casamento com um tal de Gercourt, homem que a Marquesa de Merteuil detesta por razões pessoais.




























Essa marquesa é amiga das de Volanges e se aproxima de Cécile assim que descobre que o jovem cavaleiro Danceny é apaixonado pela moça, insentivando o romance e a troca de cartas entre os dois, com o objetivo de acabar com a possibilidade de casamento de Gercourt.





























Para esse fim, a marquesa se vale da ajuda de um amigo, o Visconde de Valmont que, com suas prioridades e caprichos, forma uma história paralela à principal.
E é assim que a história vai se desenrolando através de cartas, cartas trocadas entre pessoas fofoqueiras e ávidas por um bom escândalo.

Ah! Já ia me esquecendo! As relações perigosas possui um filme, de 1988; o filme chama-se Ligações perigosas, mas é um mero detalhe, veja o trailer:


© Napolitano como meu pé - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Elane Medeiros - Isaú Vargas.
Tecnologia Blogger.
imagem-logo