7.11.2014

Livro | Cidades de papel (John Green)




























E eu falei, falei e esqueci de falar um punhado de coisas sobre o que eu penso sobre os livros do John Green. Tá, nem todos, porque eu só li dois, o Cidades de papel e o A culpa é das estrelas, mas já deu pra formar uma opiniãozinha. Assista o vídeo (meu primeiro de resenha, yeah!) e depois dá uma olhada nos tópicos que eu coloquei lá embaixo:


Outras impressões produzidas em mim (não é definitivo, gente, eu posso ler de novo e mudar de ideia, assim como eu posso ler outros livros dele e não sentir isso!):

  • John Green superestima seus personagens (na verdade só os principais)
    • Em A culpa é das estrelas, os personagens principais, Hazel e Gus, tem 16-17 anos e tem uma personalidade forte, cheia de opiniões também fortes e pensamentos e gostos que a gente não encontra aos montes em adolescentes dessa idade (e por favor, não vem me falar que é por causa do câncer que essa ideia não cola comigo).
    • Em Cidades de Papel, Margo é quem tem essa personalidade forte, entretanto, é mais plausível, uma vez que ela continua na escola, com a pressão dos pais e essa personalidade é proveniente de pensamentos do tipo "quem eu sou".
    • Ainda em Cidades de Papel, o personagem principal, Quentin (Q), já não parece ter toda essa reflexão sobre a vida e consequentemente não uma personalidade tão forte e seus amigos são ainda mais previsíveis e adolescentes: ficam bêbados na primeira chance que conseguem.
  • John Green acha que todos os seus personagens pensam igual
    • Gente! Cadê o (a) editor (a) desse homem? Cadê que não percebeu que em A culpa é das estrelas alguns pensamentos que a Hazel tinha, o Gus falava em voz alta com as mesmas palavras que a Hazel usou em seus pensamentos? Isso não acontece na vida real, minha gente, a história se torna inverossímil e é uma história que (tenta) transborda verossimilhança (dá pra ver que ele se esforçou pesquisando).
    • Aí eu te pergunto de novo: cadê o (a) editor (a) desse homem? Porque em Cidades de Papel ele cometeu o mesmo erro e o que é pior: com a Margo e o Quentin, que definitivamente não pensavam igual.
© Napolitano como meu pé - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Elane Medeiros - Isaú Vargas.
Tecnologia Blogger.
imagem-logo