5.27.2016

Livro | Retalhos (Craig Thompson)

Eu comentei no vídeo de A paixão segundo G.H. que é muito difícil falar dos livros da Clarice Lispector. Acontece que a dificuldade é acentuada com o fato de eu gostar muito dos escritos dela.
E é essa dificuldade que aparece agora (e apareceu no vídeo) comigo falando de Retalhos, uma graphic novel de Craig Thompson.


Retalhos vai acompanhar a história do Craig, um rapaz que conhece uma moça e juntos eles vão dando seu jeito de estar em contato e se ver, tentando driblar a super proteção constante dos pais.


Mas o jeito que o Thompson conta a história pra gente é mágica: ele vai revezando o que aconteceu com o Craig (ele mesmo?) e a Raina com cenas da infância dele, o que ele gostava de fazer, a relação dele e do irmão, os pais e o que acontecia com frequência na vida dele e o seu histórico com a religião.


Nada é central na história. Tudo fica como algo possível de se acontecer e totalmente verídico.
O relacionamento dos dois é algo leve, gostoso, fácil e complicado como qualquer relacionamento. Mas o que eu mais adoro nessa história é a forma como tudo o que aconteceu na vida dele e cada detalhe de quem ele é contribuíram para a Raina "acontecer" na vida dele.


E esse é o ponto forte do livro inteiro. Ultrapassa a história e as ilustrações, ultrapassa todos os sentimentos ruins do personagem principal e toda a leveza encontrada por ele.
A gente tem que ter as rédeas da nossa vida sempre firmes na nossa mão. Tudo o que acontece nela não vem diretamente da gente nem é nossa culpa mas é nossa responsabilidade. Tudo de bom e ruim que acontecer com você foi uma semente que você plantou sendo quem você é, acreditando no que você acredita, mentindo pra si mesmo e pros outros, estando onde se quer estar ou se forçando por causa de alguém.


Tudo é consequência e podem ser consequências boas ou ruins, mas no final de tudo o que acontecer, se foi bom ou ruim vai depender do seu olhar sobre aquilo, independente da sensação que a coisa toda deixou em você.
As consequências trazem aprendizado e só assim pra gente aprender a lidar com tudo o que a vida aparece pra gente. O que acontece com o Craig é ao mesmo tempo mágico e plausível de um modo que toca, cativa e faz você se identificar.


No vídeo eu comentei de forma bem bagunçada que eu me conectei muito com esse livro.
Desde o primeiro momento que eu fiquei sabendo dele ele se fez especial pra mim. E eu sou essa pessoa que acredita muito em sincronicidade e em tempo certo pras coisas, todas elas.


E se tem uma coisa que esse livro fez foi vir em boa hora, vulgo a hora certa. E eu não canso de reler.



© Napolitano como meu pé - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Elane Medeiros - Isaú Vargas.
Tecnologia Blogger.
imagem-logo