6.17.2016

Livro | Se um viajante numa noite de inverno (Italo Calvino)

O que dizer desse verniz que parece uma janela de ônibus/trem?
Eu fiquei bem orgulhosa de mim mesma quando eu editei o vídeo sobre Se um viajante numa noite de inverno e por isso mesmo eu não pensei que teria a dificuldade que estou tendo agora de escrever sobre esse livro.


Porque esse livro é de uma metalinguagem que eu nunca vi igual. Ele dialoga muito bem com o autor, o leitor, a editora, a gráfica e com o vendedor.
E ainda tem o Calvino falando - do jeito calmo e simples do jeito que só ele tem - sobre coisas mais sérias na questão da leitura do livro:


Ele fala sobre a mania horrível que a academia tem de só analisar um trecho das obras e dar um veredito sobre praticamente toda a carreira literária de alguém de acordo com os trechos lidos. Um livro é muito mais do que pequenas ideias distribuídas num livro e muitas vezes o livro não tem pretensão alguma. Mas a gente adora procurar motivos em cada palavra lida.


Ao mesmo tempo, ele comenta que ler um livro só por ler e não pensar nele, não analisar o que você pode tirar daquilo para a sua vida, é quase um pecado.
Ler é experiência e cada livro proporciona uma diferente pra gente. Assim como uma viagem, um filme, uma novela, uma ida ao parque.



E Se um viajante numa noite de inverno é um livro cheio de experiências. Italo Calvino consegue colocar tudo quanto é gênero literário num livro só e te deixar com vontade de mais, muito mais!
Chega um ponto na história que você fica levemente perdido e sem saber o que é que tá rolando, mas ainda quer saber como vai terminar. E o jeito como ele une tudo (e explica um mistério que você descobre assim que lê o índice) você se sente extremamente satisfeito com a leitura.


Mas como eu falei quase nada sobre o livro, assiste aí o vídeo que eu fiz:

© Napolitano como meu pé - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Elane Medeiros - Isaú Vargas.
Tecnologia Blogger.
imagem-logo