2.14.2017

Livro | A insustentável leveza do ser (Milan Kundera)

  • Pensa em um livro que não fala de uma coisa específica;
  • Pensa em um livro que você tem certeza absoluta que quando você ler de novo, vai ser completamente diferente;
  • Pensa em um livro que te ensinou que o amor é uma escolha, afinal de contas;
  • Pensa em um livro que te ensinou que o mundo inteiro é uma escolha sem fim;
  • Pensa em um livro que você quer que todo mundo leia;
  • Pensa em um livro com todas essas características;
  • Me conta em que livros você pensou!


Tudo isso porque eu realmente não sei o que dizer sobre A insustentável leveza do ser. É um livro minúsculo e cheio de sentimentos despertados e despertantes.
Milan Kundera escreve com destreza sobre as dores e alegrias de se querer alguém, fisica, amorosa ou espirituosamente. E de se colocar no mundo com suas ideias e valores e todas as armas na mão para defendê-los.


Narrando a história de Tomas e Tereza em primeiro plano, Kundera destrincha o começo de um romance inspirador e as lutas de ambas as partes para cultivar e florir esse amor.
Tomas vivendo duplamente entre Tereza e a amante, sem saber exatamente se estar casado era o que ele queria para ele; Tereza se percebendo presa e dependente de Tomas, não sabendo ficar sem ele e muito menos dividir ele com outra mulher.


Permeando a narrativa da vida dos dois, está a história de Sabina e de Franz, que se entrelaça e se confunde com o casal principal o tempo todo.
Disso, aparece uma linha trançada linda, complexa e real, que Milan Kundera vai expondo ao mergulhar cada vez mais fundo nos sonhos e inquietações de seus personagens.


Envolvendo toda essa narrativa, existem dois detalhes muito importantes: o peso do viver e o socialismo soviético.
O valor do peso e a escolha de viver uma vida leve ou pesada percorre o livro inteiro. Se leve, não se prende a nada nem a ninguém. Se pesado, tem-se que lutar pelo que se quer e pelo que se tem. O equilíbrio é quase impossível.
E pra confrontar as ideias de leveza dos personagens, o regime controlador e autoritário contra o qual cada um deles lutou e fugiu pelo menos uma vez.


Quando li, me surpreendi com a maravilha que eu tinha em mãos: um livro rápido e completo, que nos traz pra cabeça quinhentos assuntos para pesquisar e buscar ler depois. E como eu disse no começo, é daqueles livros que sempre ensina alguma coisa pra gente, mesmo que a gente ache que já aprendeu demais.
Por isso, fica aqui a minha dica pra você de um livro que vai bagunçar algo aí dentro.


A minha edição faz parte da coleção Companhia de Bolso. Fisicamente leve pra um conteúdo tão pesado em aprendizado. E pra um livro de bolso, a Companhia sempre me surpreende com a qualidade. Se eu tivesse o dinheiro que eu gostaria, compraria todos sem nem pensar duas vezes.

Ah! Tem vídeo no canal sobre ele! Nele eu me foquei bastante no que o livrou trouxe pra mim, dá uma olhada:

© Napolitano como meu pé - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Elane Medeiros - Isaú Vargas.
Tecnologia Blogger.
imagem-logo